Recentemente, a Caixa Econômica Federal foi condenada a liberar o saque do FGTS para pessoas cujos imóveis tenham sido danificados ou destruídos por incêndios. Para Renato de Mello Almada, sócio de Chiarottino e Nicoletti Advogados, a decisão judicial foi correta, “por assegurar isonomia de tratamento para o trabalhador que sofreu a perda do bem”, apesar de problemas que podem afetar o financiamento imobiliário.

LEIA A REPORTAGEM DO CONJUR