Uma das principais intenções da reforma trabalhista, em vigor desde novembro de 2017, era a redução da quantidade de ações na Justiça do Trabalho. Em reportagem divulgada pela Gazeta do Povo, de Curitiba (PR), a advogada Juliana Vetore do Carmo, de Chiarottino e Nicoletti Advogados, comenta sobre o menor número de processos abertos, com destaque para os honorários de sucumbência.

LER REPORTAGEM